Notícias

Secretários de Guedes pedem demissão após manobra para abrir espaço no teto de gastos

21 de Outubro de 2021 às 21:03:27

Os secretários de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram demissão dos cargos nesta quinta-feira (21). O anúncio foi feito pelo próprio Ministério da Economia. De acordo com a pasta, ambos pediram exoneração ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e informaram motivos pessoais. "A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais", informa a nota. Os substitutos nos cargos ainda não foram anunciados. Íntegra Veja abaixo a íntegra da nota divulgada nesta quinta pelo Ministério da Economia: Nota à imprensa O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21/10). A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país. A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais. Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN.

Ministros do Brasil e China discutem retomada de exportações de carne bovina

21 de Outubro de 2021 às 20:31:50


Comércio está parado há 47 dias, após a confirmação de dois casos atípicos da doença da vaca louca. País asático é o maior comprador do Brasil. A China é tradicionalmente o principal destino da carne brasileira. Juliana Amorim/Unsplash/Divulgação O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, conversou nesta quinta-feira (21) com o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, sobre a retomada das importações de carne bovina brasileira pelo país asiático. A China é tradicionalmente o principal destino da carne brasileira, mas uma suspensão aos embarques ao país asiático foi anunciada no início de setembro, após a confirmação de dois casos atípicos da doença "mal da vaca louca", um em Mato Grosso e outro em Minas Gerais. Leia também: Com suspensão da China, valor do boi caiu, mas carne continua cara Entenda o que é a doença da vaca louca Como se tratava de casos atípicos, que não oferecem riscos à saúde, o mercado acreditava em um breve retorno dos embarques, o que ainda não ocorreu. Em videoconferência, os ministros "conversaram sobre abertura e diversificação de mercados, incluindo retomada das exportações de carne bovina brasileira", disse o Itamaraty no Twitter. Segunda a publicação na rede social, "o chanceler chinês acredita que o assunto será resolvido rapidamente". O Itamaraty citou ainda que uma reunião bilateral discutirá o tema ainda nesta quinta-feira para "encaminhar o assunto".