Notícias

Conta de luz da tarifa social continua com bandeira vermelha 2 em outubro, informa Aneel

24 de Setembro de 2021 às 23:29:22


Custo adicional é de R$ 9,49 por 100 kWh consumidos. Famílias de baixa renda não pagam bandeira de escassez hídrica, em vigor até abril para demais consumidores. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (24) que a conta de luz das famílias de baixa renda incluídas na Tarifa Social de Energia Elétrica continuará com a bandeira tarifária vermelha 2 em outubro. O sistema de bandeiras tarifárias é uma cobrança adicional aplicada às contas de luz quando o custo de produção de energia aumenta. O valor extra é reflexo da crise hídrica que afeta os reservatórios das usinas hidrelétricas. Para preservar água, o governo acionou as usinas termelétricas, que são mais caras e mais poluentes. Com o acionamento da bandeira vermelha patamar 2, a cobrança adicional na conta de luz da tarifa social é de R$ 9,49 a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. Os consumidores da tarifa social são isentos de pagar a bandeira escassez hídrica, que entrou em vigor para os demais consumidores em setembro e deve permanecer até 30 de abril de 2022. A nova bandeira, que é a mais cara do sistema, representa alta de 49,63% em relação à bandeira vermelha patamar 2. Com a bandeira escassez hídrica, o custo da energia tem um adicional de R$ 14,20 por 100 kWh consumidos. As famílias de baixa renda continuam tendo direito ao desconto nas tarifas, que varia de 10% a 65% de acordo com a faixa de consumo. O desconto é concedido nos primeiros 220 kWh consumidos mensalmente por clientes residenciais. Entenda as bandeiras tarifárias G1 Inclusão automática O presidente Jair Bolsonaro sancionou, no início de setembro, uma lei que determina a inscrição automática de famílias de baixa renda como beneficiárias da tarifa social. A ideia é facilitar as inscrições no programa a partir do compartilhamento das informações do Cadastro Único pelo Executivo. Antes da lei, interessados precisavam solicitar a inscrição por telefone ou dirigir-se à distribuidora para pedir o benefício. Têm direito à tarifa social: famílias inscritas no Cadastro Único do governo federal, com renda per capita menor ou igual a meio salário mínimo; idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC); famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal de até três salários mínimos com um integrante que, devido a uma doença ou a uma deficiência, faça uso contínuo de aparelhos médicos que consomem energia elétrica. VÍDEOS: notícias sobre política

Petróleo fecha com valor máximo desde 2018 em meio à oferta restrita

24 de Setembro de 2021 às 23:27:11


Na avaliação de especialistas, alta se deve à oferta insuficiente da commodity no mundo, enquanto a demanda segue crescente. Preços do petróleo fecharam em alta pelo quarto dia consecutivo nesta sexta-feira (24) Gregory Bull/AP/Arquivo Os preços do petróleo fecharam em alta pelo quarto dia consecutivo nesta sexta-feira (24), com o Brent alcançando um valor máximo em quase três anos, em um mercado onde a oferta se anuncia persistentemente insuficiente e diante da demanda crescente. O barril de Brent do Mar do Norte para entrega em novembro fechou a US$ 78,09 em Londres, em alta de 1,08% em relação ao fechamento de quinta. Trata-se do seu nível de fechamento mais elevado desde 22 de outubro de 2018. Em Nova York, o barril de WTI para entrega no mesmo período, fechou em alta de 0,92% a US$ 73,98. Para Michael Lynch, presidente da consultoria Strategic Energy Group; Economic Research (SEER), esta alta se deve à opinião dos operadores, que consideram a oferta de petróleo insuficiente no mundo. "Ver baixar as reservas (comerciais americanas) cada vez mais faz pensar que o mercado continuará tenso pelo menos por algum tempo", comentou. No Golfo do México, 31 plataformas que foram evacuadas antes do furacão Ida, há quatro semanas, continuam inoperantes. Segundo a analista Louise Dickson, da Rystad Energy, as perturbações provocadas por Ida vão privar o mercado de 300 mil barris diários entre o fim de agosto e dezembro. A demanda, enquanto isso, não dá sinais de fragilidade, com alta nas importações de petróleo na Índia, uma melhora da situação sanitária na Europa, a suspensão das restrições de entrada no território pelos Estados Unidos, o que deverá reativar as viagens e a demanda de combustível pelas companhias aéreas.